Treviso Pizzaria_970x90
ARTIGO

Apagão de Talentos na Área de Tecnologia

Por Cláudia Lindner

28/07/2022 08h00
Por: Redação
202
Cláudia Lindner
Cláudia Lindner

É fato que a pandemia trouxe mudanças significativas para a sociedade, modificando desde o comportamento das pessoas até a forma de trabalho e garantia de renda!

Como Gestora do seguimento de tecnologia e Agile Coach, posso garantir que quando se fala nesta área, a mudança foi ainda muito maior, pois a maioria dos processos e atividades relacionadas ao comércio e serviços foi para o mundo digital, superaquecendo este setor que é meio para todos os demais setores da economia.

Durante 30 anos trabalhando na área convivi com muitas mudanças, altos e baixos no mercado, mas o que estamos vivendo agora, na minha opinião, é muito preocupante do ponto de vista da sustentabilidade!

Os profissionais de tecnologia, se adaptaram muito mais facilmente ao home-office e isto foi fundamental para manter o nível de serviço às empresas! O Seguimento cresceu tanto que, não raramente, vimos startups que tinham 80 profissionais passarem para 1.800 colaboradores de forma muito rápida.

Por outro lado, também vimos uma evasão de profissionais para outros estados, países e até continentes... o que é muito preocupante para a nossa região, que é polo de software e que tem na indústria, comércio, agro e demais setores, uma dependência muito grande da tecnologia, devido à modernização e automatização dos seus processos.

Empresas que investiram e construíram grandes e modernos prédios para melhor acomodar seus milhares de colaboradores da área de tecnologia, como a Ambev Tech de Blumenau, já avaliam o que fazer com tamanha estrutura, pois a grande maioria dos profissionais optaram por permanecer em home-office após a pandemia.

Um recente levantamento da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), comprova que, somente para este ano, serão necessários 8 mil profissionais para suprir as demandas de Santa Catarina. Isto é, temos muitas iniciativas locais para mitigar o risco do “Apagão de mão de obra”, mas a soma de todas elas não representa 1/3 da necessidade atual. Sem considerar a tendência que, acredito, deve ser aumentar este déficit, devido à retomada da economia em nível Brasil, associada aos investimentos externos e quebra de barreiras físicas na contratação deste tipo de profissionais.

Na região, temos sim muitas pessoas e entidades preocupadas com esta situação e executando várias inciativas louváveis na tentativa de mitigar o risco. Conhecemos fomentadores deste mercado como Blusoft, os 15 Centros de Inovação do estado, Instituto Gene, prefeituras, sindicatos, SENAC, SENAI e vários empresários que têm iniciado a formação interna. No entanto, segundo estimativa do sindicato patronal, a soma de todas estas inciativas deve gerar um resultado bastante abaixo da oferta.

Uma outra questão a ser abordada neste contexto é como reter os talentos atuais nas empresas! Profissionais especializados como os da área de tecnologia prezam muito por flexibilidade, mas principalmente por oportunidade de se desenvolver e se atualizar tecnologicamente, trabalhando em sistemas com tecnologia de ponta.    Uma questão essencial, também, é o clima organizacional, uma gestão de pessoas forte e o respeito às opções e crenças!

Sobre este último item, assisti empresas perderem excelentes profissionais porque, no intuito de incluir a minoria (o que é louvável), sem perceber, acabava por excluir a maioria! Esta estatística não aparece, porque as pessoas precisam do emprego e, por isto, se calam perante os posicionamentos do marketing e dos gestores em geral. Somente o gestor que faz uma gestão muito próxima das pessoas e que tem a confiança de seus colaboradores consegue entender o que acontece nos bastidores: por medo de rótulos horríveis que hoje são largamente utilizados, esta maioria se vê acuada e se cala! Mas, na primeira oportunidade, buscam uma opção onde elas possam se sentir mais livres e respeitadas quanto aos seus princípios, valores, crenças e opções.

Em resumo, precisamos focar nossa atenção neste tema que pode determinar o resultado econômico do nosso estado nos próximos anos! Penso que todo o esforço que pudermos fazer já, para estimular a formação de profissionais para o mercado de TI, será de grande valia! Digo mais: não falta dinheiro, mas as pessoas e instituições que possuem bons projetos, precisam correr atrás de recursos públicos e privados e garantir que eles sejam destinados, pois isto é prioridade total para nosso estado!

Eu mesma, como cidadã, explicando os riscos do mercado e vendendo os bons projetos que já existem no CIB e nos demais 14 centros de inovação do estado, já consegui sensibilizar o Deputado Estadual Kennedy Nunes que entendeu a urgência e está disposto a direcionar recursos já para 2023. Eu fiquei muito feliz em encontrar apoio na ALESC e penso que, se já podemos ter este grande apoio de Kennedy Nunes como deputado estadual, tendo êxito no seu projeto para o senado, poderá apoiar muito mais, pois conhece nossa realidade!

Juntos, todos nós que amamos a nossa profissão e/ou sabemos da importância dela para a sociedade, precisamos nos levantar em ações efetivas para garantir a sustentabilidade do nosso seguimento e bom resultado da economia do estado! 

Escrito por:

Cláudia Lindner

Gerente Tech | Agile Coach | Leader Coach 

Presidente PTB Mulher Blumenau | Pré-Candidata a Deputada Estadual SC em 2022

Site: www.claudialindner.com.br     

Instagram: @claudia.s.lindner

Facebook: @claudia.s.lindner

e-mail: claudia.sousa.bnu@gmail.com

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários